Como administrar seu capital de giro

Por Rafael Castanho | 12/01/2021 | 3 Minutos de leitura | Voltar
  • Compartilhe:
  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Linkedin
  • Compartilhar no Whatsapp
Como administrar seu capital de giro

Capital de giro consiste na quantia para pagamento de despesas enquanto a empresa não começa a gerar lucro

 

Para manter seu negócio funcionando é preciso ter uma quantia em dinheiro para o suprir as despesas, o capital de giro é essencial para isso.

O capital de giro é o montante disponível para uso imediato, não necessariamente dinheiro parado, já que tende a ser desvalorizado pela inflação. Manter o capital de giro disponível e rendendo é necessário tornar ele líquido, ou seja, ter um capital de giro rendendo, seja investindo em algo como uma poupança, CDB ou tesouro direto.

Um ponto importante é lembrar de contar somente o dinheiro realmente disponível e não usar projeções para compor o capital de giro. Considere somente os valores que já foram baixados. Notas fiscais que já foram emitidas, boletos e pagamentos que já foram aceitos e fechados devem ser considerados.

Reduzir o prazo para recebimento é uma boa alternativa. Mude a forma de negociação com seus clientes e foque em conseguir pagamentos à vista, reduzindo o prazo de parcelamento das vendas.

Com seus fornecedores, faça o inverso, garanta uma boa negociação e estabeleça uma relação mais proveitosa, aumentando os prazos dos pagamentos e faça pagamentos à vista se o desconto for maior que o custo  do seu capital de giro. Garantir uma boa relação com os fornecedores, especialmente aqueles com que trabalha mais tempo é uma ótima opção, já que ambos se beneficiam.

O Planejamento financeiro é essencial para administrar corretamente o capital de giro. Planeje seus gastos e mantenha-se atento ao fluxo do caixa, reduzindo e otimizando seus custos. Em casos de empréstimos, fique de olho nas taxas para que elas nunca superem a rentabilidade da empresa.
Tenha atenção ao analisar a rentabilidade e lucratividade, para que o retorno do investimento não afogue o negócio.


  • Compartilhe:
  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Linkedin
  • Compartilhar no Whatsapp
Tags Finanças

Você pode ser interessar também